Omã

Muscat

Localizado na extremidade da Península Arábica, Omã tem três territórios descontínuos, o Golfo de Omã e dois territórios menores, separados pelos Emirados Árabes Unidos: o Enclave de Madha e a Península de Musandam. Independente desde 1971, o país foi um importante entreposto de escravos e armas até ao século XIX. Depois de um período de recessão, o crescimento económico tem sido notório devido ao petróleo.

A sua capital é Mascate e está dividida em três partes distintas, a cidade propriamente dita, uma urbe amuralhada, onde se podem encontrar palácios, museus e vários fortes construídos pelos portugueses. As outras zonas da capital são: Mutra, uma antiga vila de pescadores e Ruwi, o centro diplomático da capital. Rico em História e com uma paisagem heterogénea, que integra deserto, montanhas e praias, o país é um bom destino. A flora do país é tipicamente desértica, destacando-se uma árvore, o arbusto do incenso. As árvores de incenso - franquincenso, de Wadi Dawkah e os restos do oásis e caravanas que perpetuam o comércio deste produto são Património da UNESCO. Omã está recheado de fortalezas erguidas por povos diferentes e em épocas distintas da História do país. Com 15 portas e 132 torres de vigia, o Forte de Bahla é um dos mais conhecidos e Património da UNESCO. Outras fortalezas importantes podem ser encontradas de Norte a Sul, em Al-Hazm, Rustaq, Jabrin, Shoar, onde antiguidade e modernidade se cruzam de modo muito interessante, ou Nizwa, cuja fortaleza serviu de palácio, prisão e até sede de Governo. Outro belo forte, o de Bukha, pode ser encontrado na Península de Musandam, uma das partes do território a Norte e separado do resto do país pelos Emirados Árabes. Também interessantes são os locais onde se mistura o verde da vegetação com o dourado das dunas do deserto. Thumrait é um bom exemplo. Salalah também se apresenta como uma região verdejante e onde se pode encontrar um museu e belas praias. A acrescentar a estes locais existem dois dos mais famosos oásis do país, o de A'Thowarah e o de Buraimi, local disputado também pelos Emirados Árabes. O Sul é a zona de praias mais conhecidas, mas também no Norte se encontram bons lugares para desfrutar do sol, como Sur ou Dhow. É no litoral que se encontram as principais cidades do país e onde se concentra a maior percentagem da população. Ao passar por Omã, é imperdível visitar mais alguns locais classificados pela UNESCO. Um deles são os Aflaj, cinco zonas que representam 3000 sistemas de irrigação em uso no país. Este património inclui ainda mesquitas, casas e os locais de leilão dos direitos da água, usadas desde o século VI. Os sítios arqueológicos de Bat, Al-Khutm e Al-Ayn, um complexo de ruínas de assentamentos e alguns monumentos fúnebres que datam do III Milénio A.C., são também Património da UNESCO. 

País de contrastes, Omã tem a particularidade de juntar no mesmo território a aridez do deserto e belas praias, dos oásis às vilas pitorescas e dos animados mercados às vastas áreas desabitadas. Um país cativante e com poucas marcas da influência ocidental. A cultura do país tem na música um dos seus expoentes mais significativos e que acompanha todos os momentos importantes do quotidiano dos seus habitantes.

Omã
  • Omã (OMN)
  • Capital: Mascate
  • Região: Asia (Western Asia)
  • Fuso Horário: +04:00
  • Denominação: Omani
  • Area: 309 500 km2
  • Fronteira com:
    SAU, ARE, YEM
  • População: 4 420 133
  • Lingua: Arabic
  • Moeda: Omani rial
  • Internet: .om
  • Telefone: +968