Gibraltar

Gibraltar

Gibraltar é um promontório e território ultramarino britânico na costa sul de Espanha, junto ao estreito com o mesmo nome, ligado ao continente por uma reduzida língua de areia. O local é dominado pelo Rochedo de Gibraltar, com 426 m de altitude, em calcário. Ocupando apenas 6,5 km2 de superfície, este território é estrategicamente precioso como base aeronaval devido à posição-chave de porto à entrada do Mediterrâneo, e porto de escala para reabastecimento, dando à cidade, além da função militar, uma função comercial de relativa importância, A sua capital é a cidade de Gibraltar. Os seus naturais são uma mistura de ascendências árabe, britânica, maltesa, asiática, genovesa e espanhola e falam tanto o inglês como o castelhano.

Uma vez que Gibraltar não possui recursos agrícolas nem minerais, os seus habitantes, na maior parte, ganham a vida graças ao porto, às docas e às bases da NATO. As principais atividades económicas são as reparações navais, o abastecimento aos navios, as indústrias alimentares e de bebidas, o turismo, o comércio e os serviços de reexportação. Embora a presença naval britânica em Gibraltar tenha diminuído muito desde o seu auge, antes da Segunda Guerra Mundial, o estreito de Gibraltar é uma das mais frequentadas vias marítimas do Mundo, com a passagem constante de navios. Desde que os antigos Gregos ali se estabeleceram, Gibraltar tem sofrido numerosas invasões.Invadida pelos espanhóis em 1462, foi depois capturada pelos Britânicos e Holandeses em 1704, e reconhecida como colónia britânica em 1783, Gibraltar comprovou o seu valor estratégico na guerra contra Napoleão e nas duas guerras mundiais (primeira metade de século XX). A Espanha tem tentado recuperar Este território militarmente, sobretudo desde o fim da Segunda Guerra Mundial, mediante uma solução política. Num referendo das Nações Unidas realizado em 1967, somente 44 dos mais de 12 000 votantes afirmaram preferir ser governados pela Espanha. A atividade turística tem vindo a ter um grande incremento nas últimas décadas. A principal atração do território é o Top of the Rock, cujo acesso pode ser feito de carro ou de teleférico. Daqui tem-se uma vista panorâmica da cidade, o encontro do Atlântico com o Mediterrâneo, a costa africana e a costa do Sol da Espanha. Este local foi muito importante na Segunda Guerra Mundial  usado para localizar e observar os movimentos da aviação militar. Nesta zona somos surpreendidos pela existência dos macacos da Barbaria, que despertam muito da atenção dos turistas que visitam a ilha. Este animais gostam muito de  interagir com os humanos embora nao seja permitido aos visitantes dar qualquer tipo de alimentos. O governo é responsável pela sua alimentação e preservação. A tradição popular diz que enquanto os macacos existirem em Gibraltar, o território continuará sob o domínio britânico. Por aqui também se pode aceder a S Michaels Cave (Gruta de São Miguel), uma caverna descoberta há mais de 2000 anos e que é tao grande quanto o número de lendas que rodeiam sua existência. A gruta, também conhecida por “Catedral”, devido às formações minerais que lembram tubos de um órgão, recebe quase um milhão de visitantes por ano. Por muito tempo acreditou-se que a caverna não tinha fundo e ligava Gibraltar ao continente africano por uma passagem subterrânea, por onde teriam vindo os macacos. Durante a Segunda Guerra Mundial, a caverna foi preparada como um hospital de emergência, mas nunca foi usada como tal. Desde os anos 60, a parte mais alta da caverna é utilizada como palco para espetáculos de ballet, música e teatro. Já na capital, a  praça Casemate fica no extremo norte da Main Street, a rua principal, com lojas com tax free. Tem diversos cafés e restaurantes. Próximo, pode-se ir até à Ponta da Europa), miradouro para o Estreito de Gibraltar, de onde se avista a costa africana e espanhola. Marrocos está a apenas 25Km. É lá que fica a Mesquita Ibrahim-al-Ibrahim, oferecida à comunidade muçulmana deste território pelo Rei Fahad Al-Saud da Arábia Saúdita, em 1997. Neste local também existe um farol, construído em 1841, administrado pelo Reino Unido. Também a não perder, a plataforma Skywalk, inaugurada em março de 2018. Localizada num antigo miradouro militar, a plataforma de vidro projeta-se para fora da borda de um penhasco e tem vista para o Mediterrâneo, Espanha e Marrocos.

Um centro da cidade movimentado, produtos vendidos sem impostos, muitas atrações turísticas e históricas, como o Museu de Gibraltar, o Jardim Botânico, mesquitas, catedrais e até mesmo o cartório onde John Lennon e Yoko Ono  se casaram, clima agradável, praias tranquilas, aguas claras e calmas, passeios de barco são os ingredientes suficientes para uma visita a este território que tem tanto de polémico como de atrativo.

 

 

 

 

 

 

Gibraltar é um promontório e território ultramarino britânico na costa sul de Espanha, junto ao estreito com o mesmo nome, ligado ao continente por uma reduzida língua de areia. O local é dominado pelo Rochedo de Gibraltar, com 426 m de altitude, em calcário. Ocupando apenas 6,5 km2 de superfície, este território é estrategicamente precioso como base aeronaval devido à posição-chave de porto à entrada do Mediterrâneo, e porto de escala para reabastecimento, dando à cidade, além da função militar, uma função comercial de relativa importância, A sua capital é a cidade de Gibraltar. Os seusnaturais são uma mistura de ascendências árabe, britânica, maltesa, asiática, genovesa e espanhola e falam tanto o inglês como o castelhano. 


Uma vez que Gibraltar não possui recursos agrícolas nem minerais, os seus habitantes, na maior parte, ganham a vida graças ao porto, às docas e às bases da NATO. As principais atividades económicas são as reparações navais, o abastecimento aos navios, as indústrias alimentares e de bebidas, o turismo, o comércio e os serviços de reexportação. Embora a presença naval britânica em Gibraltar tenha diminuído muito desde o seu auge, antes da Segunda Guerra Mundial, o estreito de Gibraltar é uma das mais frequentadas vias marítimas do Mundo, com a passagem constante de navios. Desde que os antigos Gregos ali se estabeleceram, Gibraltar tem sofrido numerosas invasões e, até ao século IV a. C., foi considerado pelos navegadores mediterrânicos o fim do Mundo. Os Fenícios chamaram Alube a Gibraltar e os Gregos denominavam o estreito de Gibraltar por estreito de Hércules pois, segundo a lenda, foi Hércules que formou o estreito ao separar a Europa da África, erguendo as Colunas de Hércules, pelos fenícios de Calpe, uma das Colunas de Hércules. O nome é uma homenagem ao general muçulmano Tariq ibn Ziyad que no ano de 711 d.C. aí desembarcou, iniciando a conquista do reino visigótico. Mais tarde os Muçulmanos dominaram esta península quase ininterruptamente até 1462, quando foram expulsos pelos Espanhóis. Foi depois capturada pelos Britânicos e Holandeses em 1704, durante a Guerra da Sucessão de Espanha e reconhecida como colónia britânica em 1713 pelo Tratado de Utreque, confirmado pelo de Versalhes (1783), tendo sido cercada pelos Espanhóis e Franceses ao longo dos anos. Gibraltar comprovou o seu valor estratégico na guerra contra Napoleão e nas duas guerras mundiais (primeira metade de século XX). A Espanha tem tentado recuperar Gibraltar: militarmente em 1726 e de 1779 a 1782, e, sobretudo desde o fim da Segunda Guerra Mundial, mediante uma solução política. Num referendo das Nações Unidas realizado em 1967, somente 44 dos mais de 12 000 votantes afirmaram preferir ser governados pela Espanha. A atividade turística também tem vindo a ter um grande incremento. A principal atração do território é o Top of the Rock, cujo acesso pode ser feito de carro ou de teleférico. Daqui tem-se uma vista panorâmica da cidade, o encontro do Atlântico com o Mediterrâneo, a costa africana e a costa do Sol da Espanha. Este local foi muito importante na Segunda Guerra Mundial  usado para localizar e observar os movimentos da aviação militar. Nesta zona somos surpreendidos pela existência dos macacos da Barbaria, que despertam muito da atenção dos turistas que visitam a ilha. Este animais gostam muito de  interagir com os humanos embora nao seja permitido aos visitantes dar qualquer tipo de alimentos. O governo é responsável pela sua alimentação e preservação. A tradição popular diz que enquanto os macacos existirem em Gibraltar, o território continuará sob o domínio britânico. Por aqui também se pode aceder a S Michaels Cave (Gruta de São Miguel). Saint Michael's Cave, uma caverna descoberta há mais de 2000 anos e que é tao grande quanto o número de lendas que rodeiam sua existência. A gruta, também conhecida por “Catedral”, devido às formações minerais que lembram tubos de um órgão, recebe quase um milhão de visitantes por ano. Por muito tempo acreditou-se que a caverna não tinha fundo e ligava Gibraltar ao continente africano por uma passagem subterrânea, por onde teriam vindo os macacos. Durante a Segunda Guerra Mundial, a caverna foi preparada como um hospital de emergência, mas nunca foi usada como tal. Desde os anos 60, a parte mais alta da caverna é utilizada como palco para espetáculos de ballet, música e teatro. Já na capital, a  praça Casemate fica no extremo norte da Main Street, a rua principal, com lojas com tax free. Tem diversos cafés e restaurantes. Próximo, pode-se ir até à Ponta da Europa), miradouro para o Estreito de Gibraltar, de onde se avista a costa africana e espanhola. Marrocos está a apenas 25Km. É lá que fica a Mesquita Ibrahim-al-Ibrahim, oferecida à comunidade muçulmana deste território pelo Rei Fahad Al-Saud da Arábia Saúdita, em 1997. Neste local também existe um farol, construído em 1841, administrado pelo Reino Unido. Também a não perder, a plataforma Skywalk, inaugurada em março de 2018. Localizada num antigo miradouro militar, a plataforma de vidro projeta-se para fora da borda de um penhasco e tem vista para o Mediterrâneo, Espanha e Marrocos. 

Um centro da cidade movimentado, produtos vendidos sem impostos, muitas atrações turísticas e históricas, como o Museu de Gibraltar, o Jardim Botânico, mesquitas, catedrais e até mesmo o cartório onde John Lennon e Yoko Ono  se casaram, clima agradável, praias tranquilas, aguas claras e calmas, passeios de barco são os ingredientes suficientes para uma visita a este território que tem tanto de polémico como de atrativo.

Gibraltar
  • Gibraltar (GIB)
  • Região: Europe (Southern Europe)
  • Fuso Horário: +01:00
  • Denominação: Gibraltar
  • Area: 6 km2
  • Fronteira com:
    ESP
  • População: 33 140
  • Lingua: English
  • Moeda: Gibraltar pound
  • Internet: .gi
  • Telefone: +350